quarta-feira, 1 de abril de 2009

Punk: A origem da Legião Urbana

Sei que muita gente já conhece a história da Legião Urbana e já está cansado de ler sobre isso, mas sei também que muitos fãs estão começando a ouvir agora e querem conhecer um pouco mais sobre a banda. Por isso, mesmo não sendo essa a proposta do meu blog, vou colocar algumas curiosidades e informações sobre a Legião. Um abraço e força sempre!

A ORIGEM DA LEGIÃO VEM DO MOVIMENTO PUNK

A Legião nunca teria existido se Renato Manfredini Junior (nascido em 27/03/1960 no Rio de Janeiro) não tivesse conhecido o punk rock. Fã de Beatles, Elvis Presley, Bob Dylan, Pink Floyd, Led Zeppelin e diversas bandas de rock progressivo, Renato, que morava em Brasília desde os 13 anos, conheceu o punk na adolescência e ficou fascinado, pois era tudo o que ele queria: o som era simples e qualquer um poderia ter uma banda de rock; assim, ele não precisaria mais ter aulas de música. A ideologia era a “do it yourself” (faça você mesmo). Assim, passou a ouvir muito punk: Ramones, Clash, Damned e, principalmente, Sex Pistols. Em 1978, Renato se vestia de punk (calças rasgadas, cabelo pintado, alfinetes no rosto...) e conheceu um punk chamado André Pretorius, fã de Sex Pistols. Desse encontro surgiu a 1ª banda de Brasília, que seria a mãe de todas as outras bandas: o Aborto Elétrico. Renato (que ainda não assinava Russo) no baixo (no início ele tinha vergonha de cantar), André Pretorius na guitarra e Fê Lemos (hoje baterista do Capital Inicial) na bateria.


O primeiro show, depois de muitos ensaios, aconteceu num bar chamado “Só Cana”, e chamou a atenção dos jovens pelo barulho, pela energia e pela rebeldia adolescente. A banda começou a crescer, daí Pretorius foi para a África do Sul servir ao exército desse país (que estava envolvido no Apartheid). Entra Flávio Lemos (irmão do Fê, hoje baixista do Capital), Renato lhe ensina a tocar baixo e passa para a guitarra. Era aproximadamente 1981 e Renato passa então a trabalhar com letras e usar a sua voz. Ico Ouro Preto (guitarrista, irmão de Dinho) entra na banda por um curto período de tempo. Em novembro daquele ano realiza-se o show na sala Funarte e, em 1982, Renato sai da banda por desentendimentos pessoais e musicais com Fê e passa a fazer apresentações solo, intitulando-se o Trovador Solitário, apresentando canções ao violão, como Eduardo e Mônica, Faroeste Caboclo, entre outras. Flávio, Fê e Ico mantêm o Aborto por um certo tempo e, em maio, num show, Ico desaparece e Fê, desesperado, chama o Renato para tocar. Apesar do sucesso daquele show (que já incluía em seu repertório sucessos como Fátima, Tédio (com um T bem grande pra você), Que País é Este, Conexão Amazônica, Veraneio Vascaína, entre outros), aquele foi o último da história do Aborto. Renato continuou se apresentando solo, mas depois resolveu: ele queria mesmo era ter uma banda de Rock'n Roll!

7 comentários:

  1. poha hestoria foda!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (poha) (hestoria) '-' tá serto ! :D

      Excluir
  2. amo legião minha irmã cantava faroeste caboclo pra mim durmi,bem eu nunca escutava a musica ate o fim...

    ResponderExcluir
  3. Sou uma aluna do ensino médio,e estou me preparando para fazer um trabalho sobre esta banda que revolucionou os anos 80.
    espero que posa me ajudar a descobrir mais deste grupo,que até hoje emociona muita gente.

    Obrigada
    Escola Estadual Barbara Heliodora
    Aluna:Larissa lourenço gonçalves
    são gonçalo do sapucaí-MG

    ResponderExcluir
  4. Me mada um e-mail flando exatamente o que você qeur fazer no seu trabalho! Abraço e força sempre!

    pauloavila1965@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Põoh mt boom.. ameey

    lEGIÃO SMP & SMP ♥

    ResponderExcluir