quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Figuras de Linguagem


No ano passado ajudei uma amiga a encontrar algumas figuras de linguagem na obra da legião Urbana para um trabalho da faculdade. O resultado está logo abaixo:

Antítese (figura de linguagem que consiste na exposição de idéias opostas):
“Já estou cheio de me sentir vazio / Meu corpo é quente e estou sentindo frio” (Baader-Meinhof Blues)
“Mas tão certo quanto o erro se ser barco / A motor (...)” (Daniel na Cova dos Leões)
“Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade” (Sereníssima)
“Sou filho da terra e do céu” (A Fonte)
“A juventude é rica, a juventude é pobre” (Aloha)
“Teu corpo alimenta meu espírito / Teu espírito alegra minha mente / Tua mente descansa meu corpo” (Uma Outra Estação)
“Meu amor, disciplina é liberdade / Compaixão é fortaleza / Ter bondade é ter coragem” (Há Tempos)
– São idéias antitéticas: disciplina geralmente prende alguém a um modelo, a um comportamento restrito, com a intenção de “podar” o ser humano e seus desejos “transgressivos”, mas aqui é colocado como liberdade, pois trata-se de auto-disciplina, no sentido de respeitar o espaço, a identidade e a individualidade do outro; compaixão é sinal de uma pessoa mais fraca e emotiva, aqui é vista como alguém com uma força inabalável; e a bondade parece utópica numa sociedade individualista que apóia a competição, mas aqui é visto como alguém que tem coragem de lutar ajudando os outros.

Metáfora (figura de estilo em que há a subtituição de um termo por outro, criando-se uma dualidade de significado):
“Teu corpo é o meu espelho e em ti navego” (Daniel na Cova dos Leões)
“Somos pássaro novo longe do ninho” (Eu Sei)
“Sou uma gota d’água / sou um grão de areia” (Pais e Filhos)
“Sou metal – raio, relâmpago e trovão / sou metal, eu sou o ouro em seu brasão” (Metal contra as Nuvens)
“Somos pingüim, somos golfinho, / Homem, sereia e beija-flor / Leão, leoa e leão-marinho” (Vamos Fazer um Filme)
“E quando o circo pega fogo / Somos os animais na jaula” (Natália)
“Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher / (..) / Sou Deus, tua Deusa, meu amor” (1º de Julho)
“Eu sou a tua morte / (...) / Eu sou a pátria que lhe esqueceu / o carrasco que lhe torturou / o general que lhe arrancou os olhos / o sangue inocente / de todos os desaparecidos / o choque elétrico e os gritos” (La Maison Dieu)
“Eu sou um pássaro / Me trancam na gaiola” (Clarisse)
O título da canção “As Flores do Mal” é uma metáfora para a letra da canção, que fala sobre tudo de mal que as pessoas fazem com o amor: mentira, traição, cinismo, além de uso de drogas, vida desregrada.

Perífrase (figura de estilo retórico que substitui uma expressão curta e direta por outra mais extensa e carregada de maior ou menor simbolismo):
“Alguma coisa aconteceu / Do ventre nasce um novo coração” – em vez de dizer simplesmente que a pessoa está grávida (1º de julho)

Hipérbole (figura de linguagem que ocorre quando há exagero intencional numa idéia expressa, de modo a acentuar de forma dramática aquilo que se quer dizer, transmitindo uma imagem ampliada do real):
“Me fiz em mil pedaços” (Quase sem Querer)
“Disseste que se tua voz tivesse força igual / À imensa dor que sentes / Teu grito acordaria / Não só a tua casa / Mas a vizinhança inteira” (Há Tempos)
“Me embriaguei morrendo vinte e nove vezes” (Vinte e Nove)
“Meu amor, se quiseres voltar – volta não / Porque me quebraste em mil pedaços” (Mil Pedaços)
“Se dez batalhões viessem à minha rua / E vinte mil soldados batessem à minha porta” (La Maison Dieu)
“Voamos alto depois das duas” (Marcianos Invadem a Terra)

Eufemismo (figura de estilo que emprega termos mais agradáveis para suavizar uma expressão):
“Quando as estrelas começarem a cair” = Quando o mundo acabar (Angra dos Reis)
“Minha papoula da índia / Minha flor da Tailândia” =
eufemismo para as drogas (A Montanha Mágica)
“Hoje fiquei com febre a tarde inteira” =
eufemismo para os avanços da doença/Aids (A via Láctea)
“E quando eu for embora / Não, não chores por mim”
= eufemismo para a morte (Música Ambiente)

Paradoxo (figura de pensamento que consiste na exposição contraditória de ideias):
“Amor é fogo que arde sem se ver / É ferida que dói e não se sente / é um contentamento descontente / É dor que desatina sem doer” (Monte Castelo)
“és fogo e gelo ao mesmo tempo” (Uma Outra Estação)

Metonímia (figura de linguagem que consiste no emprego de um termo por outro, dada a relação de semelhança ou a possibilidade de associação entre eles):
“Eu tenho Hanna-Barbera” = Eu tenho desenhos (ou gibis) da Hanna-Barbera (1965 (Duas Tribos))

Clímax ou Gradação (figura de estilo que consiste na apresentação de uma sequência de ideias em andamento crescente):
“Como uma ampulheta imóvel, não se mexe, não se move, não trabalha” (Clarisse)

Assíndeto (figura de estilo que consiste na omissão das conjunções ou conectivos):
“Será que existe vida em Marte? / Janelas de hotéis / Garagens vazias / Fronteiras / Granadas / Lençóis” (Marcianos Invadem a Terra)

Se alguém encontrar mais algumas figuras de linguagem em outros versos, comente! Pode ser útil para qualquer trabalho de faculdade e até mesmo de ensino médio. Força sempre.

14 comentários:

  1. Gostei do blog.
    Outro dia entrei num blog que também trata desse assunto, e gostei muito do blog.
    O blog é: http://9anocrioerecrio26.blogspot.com
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. A idéia foi ótima.Gostamos do Legião.Poderias contextualizar os versos,facilita a identificação das figuras.

    ResponderExcluir
  3. manoow, teu blog é muiito bom! ameii =D tenho trabalho sobre figuras de linguagem e tu tá me ajudando muito '---'
    \õõ/
    Parabens pelo Trabalho!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. muito bom este blog.
    gostaria de saber qual o nome desta musica.
    tambem estou fazendo um trabalho e preciso ilustrar com uma canção.

    ResponderExcluir
  6. cara teu blog é mto bom
    me ajudo muito no trabalho que tenho que fazer
    vlw. abração

    ResponderExcluir
  7. Perfeitoo Me Ajudou Muiito
    no meeu trabalhoo e ainda deu pra miim conhecer maiis sobree as musicas do legião urbana adoroo essa bandaa

    ResponderExcluir
  8. muito bom esse blog Obrigado Gente Beijos

    ResponderExcluir
  9. Nossaa obg, vc me ajudouu muitoo =)

    ResponderExcluir
  10. Caso queira acrescentar identifiquei também como hipérbole o seguinte trecho:
    "E a cada hora que passa envelhecemos dez semanas" (Teatro de Vampiros)
    Abraços, obs: gostei da iniciativa!! Muito legal!

    ResponderExcluir
  11. Realmente, você tem razão! Há sim uma hipérbole em O Teatro dos Vampiros. Valeu pela contribuição!!!

    ResponderExcluir
  12. e na música 'Que país é esse?' quais figuras de liguagem existem?

    ResponderExcluir
  13. Só um erro entre paradoxo e antítese, ambas estão com a mesma definição. A antítese é formada por palavras contrárias e não ideias contrarias. A ideia do Blog é ótima, amo legião urbana.

    ResponderExcluir