quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Monografia "A poética Romântica de Renato Russo" - Renato Russo, o Homem e o Artista


IV. Renato Russo, o Homem e o Artista
Renato Russo (com o nome de batismo Renato Manfredini Junior) nasceu no Rio de Janeiro em 27 de março de 1960, mesmo ano em que Brasília, capital do Brasil, foi criada.
Renato viveu com os pais e a irmã na Ilha do Governador até aos 07 anos de idade. Morou nos Estados Unidos entre os 07 e 09 anos de idade e, dali, foi morar em Brasília. Podemos dizer que foi na Capital Federal que tudo mudou em sua vida.
Aos 15 anos, descobriu que tinha uma doença rara (epifisiólise) que destruiu a cartilagem da sua perna (DAPIEVE, 2000: 24). A doença e suas conseqüências fizeram dele um jovem recluso, tímido e introspectivo. Mas ao mesmo tempo propiciou-lhe ler muito, ouvir música e criar em seu imaginário uma banda fictícia de rock’n’roll nomeada de Forty Second Street Band. Neste universo fictício ele criou um alter ego, Eric Russel, louro e bonito, líder e vocalista da banda imaginária. Ele tinha tudo anotado sobre essa banda fictícia: ficha técnica de cada álbum, letras, turnês, discografia...
Quando se recuperou do tratamento e da doença, Renato voltou à vida normal e se sentiu muito diferente, distante, como se não fosse daquele mundo. Comentou, mais tarde, em uma entrevista: “Observava tudo com olhar de estrangeiro” (PASSOS, 1995: 24).
Até que então, Renato – um fã de Beatles, Elvis Presley, Bob Dylan e rock progressivo – descobriu um movimento que iria mudar a sua vida para sempre: o punk rock que estourava na Inglaterra no final dos anos 70, causando polêmica pela energia, pela atitude, pelas roupas rasgadas, alfinetes no rosto, anarquia, letras politizadas que criticavam o sistema vigente. Nesse momento, o rock havia se afastado dos anseios da juventude e seus concertos eram agora apenas um evento caro e pomposo para a elite. Os artistas desse meio andavam de limusine e se distanciavam do povo (DAPIEVE, 2000: 29-30).
Com o punk rock, o poder literalmente voltava às mãos dos jovens proletários (negros e brancos pobres), que agora poderiam mostrar o seu inconformismo através da música.


Renato ficou fascinado com as propostas estéticas do movimento. Assim, ele começou a comprar os discos de punk rock: Sex Pistols, Buzzcocks, The Damned, The Clash, Ramones entre outros. O próximo passo foi montar um grupo de punk rock. Com mais dois amigos, Felipe Lemos e André Pretorius, Renato montou a primeira banda de punk rock de Brasília: Aborto Elétrico.
Dapieve (2000, 25) lembra que foi nessa época que abandonou o sobrenome Manfredini Júnior e adotou o sobrenome Russo, numa homenagem tripla ao filósofo inglês Bertrand Russel, ao filósofo francês Jean Jacques Rousseau e ao pintor francês primitivista Henry Russell.
Interessante é perceber a sua capacidade de catalisador desse movimento, a forma como ele ajudou o movimento a ganhar força na cidade, ganhando adeptos e motivando o surgimento de novos grupos musicais nesse estilo. Dessa forma, Brasília fervilhava de grupos.
O país ainda estava sob a ditadura militar do General Geisel, que governou o país entre 1974 e 1979. Havia, no entanto, um lento processo de abertura política; tal abertura seria testada com essa circulação de idéias (DAPIEVE, 2000: 30-31). Mesmo assim esses jovens sofreram discriminações, represálias e perseguições da policia, mas não deixaram de subverter a ordem, escrever letras de músicas com críticas sociais e organizar eventos em toda a cidade.
O movimento punk em Brasília teve início em 1978. Em 1982 o Aborto Elétrico chegou ao fim, por divergências entre Renato Russo e Felipe Lemos. Mas a semente punk já havia sido lançada em solo brasiliense.
Renato Russo então resolveu fazer apresentações solo apenas com o seu violão, apresentando canções antigas e novas, abrindo as apresentações de outras bandas e se intitulando como “O Trovador Solitário”.

Mas Renato queria mesmo era ter uma banda de rock, e assim formou, juntamente com o baterista Marcelo Bonfá, a Legião Urbana. Depois de algumas formações entraria o guitarrista Dado Villa-Lobos, que – juntamente com Russo e Bonfá – faria parte da formação clássica até ao fim da banda. Renato Rocha, baixista, chegaria a fazer parte da banda até ao terceiro álbum lançado, saindo depois por diferenças de interesse musical.
Renato Russo então seria o líder da banda, cantando e escrevendo as suas letras poéticas.
Mas a Legião Urbana não tinha apenas a influência punk do inicio do movimento brasiliense. O seu som tinha influências do folk, rock inglês, pop e pós-punk (uma ramificação do punk rock, porém mais lento, mais trabalhado, mais melódico e, muitas vezes, mais melancólico).
Com a Legião Urbana, Renato conquistaria o Brasil.
A Legião Urbana foi uma banda tipicamente dos anos 80, mas que atravessou os anos 90, mantendo-se viva e cultuada até aos dias atuais, mesmo com o fim da banda há 12 anos.

16 comentários:

  1. Cara a minha monografia é sobre O Renato Russo e a influência que ele teve sobre os jovens da década de 80, como eu, vc e outras pessoas. Por isso se alguém tiver algum material sobre os anos 80 e sobre Renato Russo, por favor,entre em contato comigo!!! meu email: anapatty00500@hotmail.com Desde já agradeço. Abraços!!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, meu nome é Aline e estou concluindo o curso de História. Minha monografia também será sobre esse mito chamado Renato Russo, por isso eu gostaria muito de poder ler o seu trabalho na íntegra, para quem sabe anexa-lo as minhas referencias bibliográficas.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Aline, me mande o seu e-mail que eu lhe envio a minha monografia, sem problemas. Força sempre!

    ResponderExcluir
  4. PAULO gostaria de ver sua monografia para ter uma ideia de como fazer a minha. Sobre o mesmo tema.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Paulo, tudo bom? Gostaria de ler sua monografia na íntegra. É possível? A Minha trata da banda como um todo e a influência dela no cenário musical brasileiro e seus conflitos com a mídia. Pode enviar para filhodoandre@gmail.com?
    Desde já agradeço

    ResponderExcluir
  6. Vou entregar meu TCC na segunda feira, 28/11/11, estou com problemas para fazer a introdução, a conclusão e o resumo/ abstract. É sobre o Manfredini Jr. também! :D
    Fiz meio às pressas, não ficou tão bom, mas espero que seja o suficiente para eu ser aprovado.
    Falei sobre o Rock Brasil no 1º capítulo, sobre a biografia do RR no 2º, a teoria do sujeito pós-moderno de Stuart Hall tbm no 2º e, finalmente, a análise de Pais e Filhos.
    Acho que ficou meio sem sentido essa ordem, teria sido mais interessante eu destacar como se caracteriza o gênero rock enquanto veículo de protestos e depois me aprofundar na análise de uma obra ou mais do RR.

    ResponderExcluir
  7. Oi Paulo!! Vou fazer minha monogragia tbm Sobre Renato Russo e o romantismo, e eu queria poder ler sua monografia na íntegra.. Tem como?

    ResponderExcluir
  8. Olá Paulo, també vou fazer a minha monografia da pós sobre o Renato Russo. Tem como vc me mandar tua monografia pra eu poder anexar a minha bibliografia? Prometo te enviar a minha quando esta estiver pronta. Meu e-mail é paulamonet@ig.com.br

    ResponderExcluir
  9. Renato Russo eterno.

    ResponderExcluir
  10. Olá galera... estou fazendo minha monografia sobre o Renato Russo baseando-se em algum de seus álbuns e sua influência na literatura através da música. Se alguém tiver algum material que possa me passar como objeto de estudo eu serei eternamente grato !! Abraços :)

    ResponderExcluir
  11. Olá amigo estou fazendo minha monografia sobre as letras da banda gostaria se fosse possivel fazer uma leitura da sua pois sei que me ajudaria bastante meu email é prismavincit@hotmail.com

    ResponderExcluir
  12. Olá! Paulo irei fazer minha monografia sobre a poética do Renato Russo em suas letras, gostaria muito de ler sua tese por completo, para anexa-la em minhas referencias bibliográficas e me ajudar a clarear algumas ideias, se puder me envia-la por e-mail ficarei muito agradecido! anderson_job3@hotmail.com. Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Renato Russo é meu grande ídolo, seria um prazer para mim poder ler seu trabalho na íntegra, é possível ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso te mandar sim, Gyssely! Qual o seu e-mail?

      Excluir